Faça seu site!
Home > Noticias > Datafolha traça perfil do eleitorado brasileiro

NOTICIAS

Aécio é visto pelo eleitor como uma terceira via, sem grande expressividade nas camadas sociais e menos interessante que Marina nas camadas mais altas.

23/09/2014 - 03:27:43

Datafolha traça perfil do eleitorado brasileiro

 

Levantamentos realizados pelo Datafolha dão conta de que, quanto mais elevada a classe social, maior a tendência do eleitor a votar em partidos de direita ou conservadores. A classe média intermediária, contudo, mostra-se ainda dividida em suas preferências e é alvo de disputas entre os candidatos.

 

Segundo a pesquisa, na classe alta, que compõe 7% do eleitorado brasileiro, Marina Silva (PSB) é quem lidera as intenções de voto, com 36%. Aécio Neves (PSDB) aparece em seguida, com 33%. Dilma Rousseff é a menos popular, com 19%. Na classe média alta, Marina continua na liderança, com 35%. Dilma aparece em segundo lugar (27%) e Aécio em terceiro (22%). A fatia de eleitores da classe média alta é de 20%.

 

Na classe média intermediária, Aécio aparece muito abaixo das outras duas candidatas, com 15%. Segundo o Datafolha, 32% do eleitorado brasileiro estão concentrados entre as classes médias alta e baixa. Entre esses eleitores, Dilma é a preferida, com 35%, contra 33% de Marina.

 

Dilma mantém a preferência, dessa vez com larga vantagem, entre a classe média baixa e os excluídos. No primeiro grupo, que corresponde a 13% do eleitorado, a petista tem 40%. Já no segundo, segunda maior fatia eleitoral (27%), ela tem 49% da preferência. Marina e Aécio, em contrapartida, diminuem conforme paralelamente à renda do eleitor.

 

Desde 2002, houve significativas mudanças no perfil do eleitor brasileiro. Não existe mais a ideia de pirâmide social, maior em sua base e diminuindo uniformemente enquanto atinge novos patamares da escala, até chegar à classe alta. Em números, os excluídos representavam 33% dos eleitores; a classe média baixa, 23%; a classe média intermediária,17%, assim como classe média alta; e a classe alta, 10%. Em 2014, os excluídos; a classe médias baixa e a classe alta diminuíram. Em contrapartida, as classes médias intermediária e alta aumentaram.

 

A questão é por que Aécio Neves não é o candidato preferido da classe alta. O que se observa é que, quanto mais pobre o eleitor, mais votos Dilma tem. Já quanto mais rico, mais votos para Marina. Aécio aparece em destaque apenas na classe alta, ainda assim, atrás de Marina. Dilma e Marina são herdeiras do lulismo e participaram da gestão de Lula. Contudo, para as grandes empresas e os grandes investidores, Marina é mais capacitada para administrar a economia do país. Dilma, por outro lado, agrada por ter dado segmento aos programas sociais. Já Aécio é visto pelo eleitor como uma terceira via, sem grande expressividade nas camadas sociais e menos interessante que Marina nas camadas mais altas. Isso pode explicar porque o candidato que mais representa a direita tradicional não tem a preferência nas classes que mais se agradam do conservadorismo.

 

 

foto: internet

 

 

 

Fonte: Jornal do Brasil

COMPARTILHE

COMENTE

Top 10 Mundo Mix

Notícias

Vídeos